TCM aplica multa e exige ressarcimento a Tato Pereira e ao padre
 
Até Teta tá no mêi

O Tribunal de Contas do Município baiano, ajustando as contas dos prefeitos e presidentes de câmaras de vereadores, lançou seu olhar para este ostensivo município cachoeira de tantas irregularidades administrativas, corrupções, caixas 2 e muita grana desviada em compra de gasolina em postos de combustíveis do proprio prefeito. As multinhas aplicadas são fichinhas, merrecas, mas dá uma ideia do volume de dinheiro público que o TCM não conseguiu pegar na sua ratoeira. Nessa pegadinha de mal gosto depara-se uma questão: por que o padre figura como ente da prefeitura em 2007 e terá que devolver quase 6o mil aos cofres públicos? Eis: 
Prefeitura FERNANDO ANTONIO DA SILVA PEREIRA 3. 000.00 09881-08 2011

Prefeitura FERNANDO ANTONIO DA SILVA PEREIRA 2.000.00 15974-08 2010

Prefeitura FERNANDO ANTONIO DA SILVA PEREIRA .5000.00 08837-10 2011

Prefeitura FERNANDO ANTONIO DA SILVA PEREIRA 3.000.00 07790-11 2012

Prefeitura FERNANDO ANTONIO DA SILVA PEREIRO 600.00 08208-07 2008

Prefeitura FERNANDO ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA 2.500.00 08127-09 2009

Prefeitura FERNANDO ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA 500.00 01561-11 2011

Prefeitura FERNANDO ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA 5.000.00 01561-11 2011

Prefeitura FERNANDO ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA 39.192.71 07790-11 2012

Prefeitura HÉLIO CEZAR LEAL VILAS BOAS 59.669.57 10669-05 2007

Irregularidade também na casa de Mãe Xica
Processo nº 08059-12 - Contas da Câmara Municipal de CACHOEIRA, exercício de 2011. Gestor/Responsável: Sr. Julio César Costa Sampaio. Relator: Conselheiro Plínio Carneiro Filho. Decisão: Aprovação, com ressalvas e aplicação de multa ao Gestor no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), bem assim determinação de ressarcimento aos cofres públicos municipais do montante de R$ 19.060,92 (dezenove mil, sessenta reais e noventa e dois centavos) pelo Gestor. Votaram com o Relator: Conselheiros Fernando Vita, Raimundo Moreira, José Alfredo Rocha Dias, Francisco de Souza Andrade Netto e Paolo Marconi. Ato: Parecer Prévio nº 580/12 e Deliberação de Imputação de Débito nº 521/12.

Comentários