Nada funciona em São Felix



Seiscentos professores contratados pela prefeitura municipal de São Felix foram exonerados sem prévio aviso, entre os quais alguns professores lotados nos colégios Rômulo Galvão e Duque de Caxias, pertencentes à rede de ensino estadual. Para piorar a situação educacional, fruto da ação deseducada da administração municipal, os ônibus escolares que transportam estudantes da zona rural para escolas da zona urbana foram retirados de linha. Os ativos idosos sanfelistas, que diariamente faziam ginástica nos equipamentos públicos, agora estão inativos porque a PMSF fechou a academia. O posto odontológico suspendeu atendimento, fora 16 garis que foram demitidos sumariamente.
É a síndrome da perdedura. Ou a síndrome do "nem eu nem você". Ou a estratégia do "pára tudo para varrer as falcatruas pra debaixo do tapete". Nada funciona em São Felix e até o dia primeiro de janeiro muitas cabeças rolarão; cabeças miúdas, cabeças de rola, diga-se de passagem. As cabeças pensantes ficarão; afinal, se sujar, o excelentíssimo-mor não irá sozinho à guilhotina.
Ainda bem que tudo isso está acontecendo na outra margem do antes majestoso rio Paraguaçu, que perdoe este blog os sanfelistas, porque ninguém merece tamanha sacanagem. Porém, imagine, temeroso leitor, se fenômeno eleitoral parecido ocorresse em Cachoeira? Caraca! Dá arrepio pensar! Seguramente não estaríamos vivos para ler estas mal traçadas linhas: estaríamos comendo capim pela raiz; ou todo muído. Aí, muitos podres viriam à tona, cheques pendurados seriam expostos em varais em praça pública, zilhões de notas promissórias seriam protestadas judicialmente, pais saberiam que suas filhas e esposas foram papadas no sítio, etc., etc., etc. Seria algo como 'pocar' a barragem de Pedra dos Cavalos. Obrigado, Deus Menino (o que teve a coroa roubada pelo rato rato) do colo de Nossa Senhora d'Ajuda por nos livrar desse terrivel mal.
 


Comentários