Sílio na WEB


 Recebi uma mensagem de meu irmão, aconselhando-me a publicar algo escrito por Sílio Boccanera e acabar com esse "profundo" debate. Não, O Arquivo Regional de Cachoeira tem uma hemeroteca e quem quiser saber sobre o polêmico tarado que vá lá e debruce sobre as poeiras e ácaros. Depois, quem dá luz a cego é bengala branca e Santa Luzia. 
 Ainda assim, meu irmão pesquisou na NET e, segundo ele, descobriu vários Sílios boccanera, que não é o Sílio vivo, o jornalista do Rio-SP, sei lá. E aí me enviou um Sílio, que publico abaixo só para acalmar os ânimos do pessoal da guaraná guarany. 

Sílio Boccanera Júnior 
(1863 - 1928)


Engenheiro de formação, homem de letras, dramaturgo e jornalista crítico nascido em Salvador, capital do Estado da Bahia, um dos mais importantes autores da história do teatro no Brasil, especialmente da Bahia e destaque das características culturais, da religião, da arquitetura e do turismo no estado.
Educado em Salvador, casou-se (1903) com a colunista, compositora, musicista e famosa atriz Luísa Leonardo (1859-1926), viúva do pintor português Augusto Rodrigues Duarte, e a partir desta convivência se tornaria também autor da mais completa biografia dessa intelectual carioca, que foi publicada pela primeira vez na Revista do Grêmio Literário da Bahia. Foi, por 34 anos, Diretor da Secretaria do Conselho Municipal da Bahia, dedicando-se ao estudo da história, arte e tradições de sua terra.
Vivendo praticamente toda sua vida na capital sorotopolitana, morreu nessa capital. Autor de livros importantes sobre temas históricos como O theatro brasileiro (1906), O Theatro na Bahia: livro do centenário (1812-1912) (1915), Cinemas da Bahia:1897-1918 (1915), Castro Alves na Vida e na Morte (1915), Bahia Histórica (1921), O Theatro na Bahia: da Colônia à República (1800-1923) (1924), Bahia Cívica e Religiosa: subsídios para a história (1926) e de Bahia epigráfica e iconográfica (1928).

Comentários

  1. Arnaldo sampaio13:19

    Vc sabia Blogueiro,que o recém formado em Direito,filho do vice prefeito,já é procurador da Câmara.Pois é, a turma é rápida e ética! Esse é o governo do povo.Fala Guarany sobre issso!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo13:24

    Gostou?Quer mais,vá pesquisar!

    ResponderExcluir
  3. Não se registra qualquer ânimo exaltado por cá. O que me faz crer, é que há, sim, ânimo exaltado e muito perdido por aí. Quanta surpresa você revela através do seu irmão, mas é assim, irmãos são para circunstâncias iguais a estas. Sílio Boccanera Júnior! Esse, sim! Conhecemos, o saudoso Sílio Boccanera Júnior. Como a ausência do Júnior fez a diferença! Agora,sim. Mas,era este mesmo Silio Boccanera Júnior que escrevia para o Guarany d'antanho ou a sua referência recai sobre outro Boccanera? Perguntar não ofende. Não é mesmo? Poste uma resposta. Esta "cega" de cá enxerga bem,vê a beça, muito mais além do que você imagina. Você prossegue plenamente equivocado. A sua mediunidade e capacidade interpretativa está comprometida com algo que você desconhece. Está fortemente dominada por forças as quais você ignora. Sobre o assunto que você persegue impulsiva e sistematicamente, o que lhe chega ao pensamento, não encontra espaço para depuração. Vem a público como lhe chega! Daí a pouco, sou eu quem vai fazer o papel Santa Luzia para socorrer você. Bengalas você já vem usando há muito tempo. Mesmo assim, reconheço-lhe a inteligência, raro é a do cachoeirano que se assemelha a sua. Sinceramente! Que bom você me incluir no quadro do pessoal de O GUARANY de hoje.É prova de que não sou cega! Cego é quem se apega às traças do Guarany d'antanho, cuja expressão valeu para sua época e também para cabeças iguais a sua e do Raimundo Cerqueira que sequer sabem identificar valores atuais, só os enxergam onde não existem, lá, na distância, nos túmulos, onde cujos corpos, se dependessem de vocês, permaneciam na imobilidade para sempre,jamais ressuscitariam.
    Eu tenho plena certeza que há uma pessoa em todo este episódio que está adorando essas locubrações. Refiro-me ao Prof. Pedro Borges, pois, é um processo que ele tem pleno domínio, é algo poderosamente hipnotizante. Ele adora a expressão do contraditório, muito mais do que o reconhecimento do patrimônio de valores que administra, interna e externamente. Para um bom entendedor, meio discurso basta!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo15:01

    É isso mesmo escritor dessa etilica e erotica jungla... as pessoas querem a historia na mao e nao querem pesquisar. Aposto que quase nehum desses estudantes de Historia que aqui o depreda,m sabem sequer onde fica o arquivo publico municipal com a historia de nossa gostosa jungla e agora opinam sobre coisas que nao sabem.

    Abraços do seu leitor fiel e não etilico amigo.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo16:28

    Se esse levava o nome de júnior,deveria ser filho de um outro homônimo.

    ResponderExcluir
  6. Sílio Bocanera Jr. é avô do jornalista (de mesmo nome)que foi correspondente da Globo na Europa e atualmente apresenta um programa na Globonews. Há alguns anos, num congresso de jornalistas, onde ele foi conferencista, apresentei-me como cachoeirano e ele hpnrou-me com alguns minutos(estava apressado, o vôo para a a Europa seria dái a algumas horas e ele era acossado por estudantes de jornalismo pedindo autógrafos...) Disse-me que ficou honrado em conhecer alguém que conhecia a história do avô dele, ainda mais sendo de Cachoeira onde o velho tinha morado, quando foi trabalhar como empregado da empresa que operava os trens para a região. Em Cachoeira ele conviveu com Augusto Motta, Tranquilino Bastos, Cincinato Franca e outros abolicionistas. Escreveu em muitos jornais de Cachoeira e de Salvador. É um notável intelectual do passado cachoeirano.

    JORGE RAMOS (Jornalista)

    ResponderExcluir
  7. Anônimo19:31

    Quem é essa Andrezza? Ela escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  8. Arnaldo Sampaio19:36

    Ora Andrezza,o blogueiro não está falando mais que a verdade;eu mesmo não dou credibilidade em nada que escreve o Guarany de então.É todo tendencioso e direcionado para bajular quem está no Poder.Me economize.

    ResponderExcluir
  9. Não sei quem é você, Arnaldo Sampaio. Mas deve ser mais um idiota que com suas expressões, pensa desencorajar valores que a Cachoeira tanto precisa para sustentar sua estrutura de progresso. Não sei quem é você.Você não dá credibilidade em nada que o Guarany escreve porque não tem capacidade de ler,nem de refletir, é igualzinho ao Lancaster da FM Paraguassú. Você deve ser um semi-analfabeto, energúmeno, figura properispômena da sociedade, incapaz de construir valores, edificá-los, pois em Cachoeira não se sabe de nada por você produzido que haja tido influência positiva na comunidade.O blogueiro não tem a menor credibilidade na comunidade cachoeirana, nem nos meios acadêmicos, não tem com ninguém, nem no seio de própria família, procura postagens em valores alheios como em Jorge Ramos, para que se possa crer nas ofensas que ele joga contra O Guarany, para atingir e ferir seus diretores, o Prof. Pedro Borges dos Anjos e Luciano Borges. Não tenho procuração para defendê-los nem eles precisam, porque sei da capacidade de ambos para se defenderem das acusações indecentes, com linguagem de baixo calão, própria de maluco de aldeia do submundo.Eles sabem em que corte defender-se quando alguém falar a eles sobre o volume da produção destinada a denegrir a imagem do Jornal O Guarany, cujas edições a comunidade anseia tomar conhecimento todos os meses.
    O Jornal O Guarany de hoje não precisa ter credibilidade de mentes sujas iguais a sua. O Jornal Guarany atual cumpre, sim, o seu papel, independente da opinião infra-dotada de Cacau Nascimento, de Raimundo Cerqueira e sua, uma gente que carrega marcas pesadas de rancor, ódio, vingança, formando a gang anárquica da comunidade.

    ResponderExcluir
  10. Arnaldo Sampaio19:43

    Olha Senhorita Andrezza(tá parecendo mais um travestido),quem deve fazer parte de alguma gangue ou melhor bando,não sou eu.Procure seu lugar,não venha afrontar e desrespeitar homens de bem,só porque não comunga dos seus sórdidos valores.Continuo reiterando que não confio nem dou nenhuma credibilidade a esse jornaleco,tendecioso e minimante ambíguo.Quero ver ele se pronuncia quanto a contratação do recém formado em Direito e filhinho do vice prefeito para ser defensor da cãmara de cachoeira.vai falar? PS;Penso,não leio o Guarany de hoje e existo.

    ResponderExcluir
  11. Arnaldo Sampaio20:10

    Quero saber se v.sa foi convidado a participar de uma palestra sobre educação patrimonial que aconteceu ontem dia 17?Tinha muito interesse em participar mas, parece que a Câmara tem medo de gente e prefere a mesma panelinha !As figurinhas carimbadas de sempre.Assim não dá,falta divulgação para que haja participação.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo20:15

    Andreza é nome de travesti,ai meu Deus!

    ResponderExcluir

Postar um comentário