Volta à aulas

REDE DE ENSINO PÚBLICO INICIA ANO LETIVO

A partir de hoje, 22, a rede de ensino público inicia efetivamente o ano letivo 2010. Com novidades. A Secretaria de Educação do governo Wagner implementa novas regras pedagógicas, adequando o currículo escolar à realidade sócio-cultural baiano. Com ênfase no Programa TOPA, que é um projeto de erradicação do analfabetismo, que todo mundo sabia que existia, mas nào sabia que chegava à cifra de 2 milhões de cidadãos eleitores. Outra novidade é a liberdade que terão as escolas de inserir disciplinas - ou matérias - de acordo à realidade histórico-cultural de cada região. No Colégio Rômulo Galvão, de São Felix, por exemplo, foi incluído o curso de guia turístico e a disciplina sobre diversidade cultural, que é em verdade a aplicação constitucional da Lei 10.645, que obriga as escolas a inserir nos seus currículos a história e cultura africana e indígena.

No Rômulo, a disciplina será oferecida aos estudante de primeiro ano do curso médio, e será ministrada pelo professor, historiador, antropólogo Cacau Nascimento. "Estudaremos em sala de aula as contribuições históricas e culturais do africano no Recôncavo baiano, enfatizando principalmente os aspectos políticos (resistências escravas) e religiosos do povo africano na consolidação de uma identidade negra nessa região", informou o historiador e antropólogo. Disse ainda que sua intenção é aplicar em sala de aula do referido colégio a mesma metodologia aplicada no curso de extnsão sobre história, cultura e tradição do Recôncavo baiano que ele ministra na Universidade Federal do Recôncavo baiano,

Contando com o apoio da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes de São Felix, cuja secretária Elba Matos foi por largo tempo diretora do Rômulo Galvão, será utilizado como recurso didático sítios culturais de cunho africano de São Felix, a exemplo do distrito de Outeiro Redondo. Além disso, será privilegiada a Ripe Rádio WEB, que é uma "rádia" implantada, entre oito em toda a Bahia, pelo Programa de Pós-Graduação da Escola de Educação da UFBA. A Ripe do Rômulo foi trazida para São Felix pelo Terreiro Cultural, coordenado por Lu de Salu, e é coordenado no Rômulo pela professora Maria José Soares da Cruz, a agitadora Mazé. Vale ressaltar que a programação da Ripe é feita por estudantes do Rômulo, tem conteúdo educacional, privilegiando os aspectos culturais regionais, e não toca reboleichom-chom.

Comentários

  1. Elba Matos18:44

    Ok! Cacau,pode contar com meu apoio. Possiblitar aos jovens sanfelixtas acesso a conhecimentos da cultura de seus ancestrais é muito bom.

    ResponderExcluir

Postar um comentário