BAD CARD
Feia, abominável a conduta da Irmandade da Boa Morte ao execrar publicamente o padre, ou não padre, Sebastião Heber. O que se leu nas faixas colocadas na fachada da sede da Irmandade foi uma manifestação de grosseria, falta de educação doméstica, intolerância, abuso, despirocamento, manifestação de ódio, tudo o que não presta.
A atitude da Irmandade da Boa Morte foi muito feia, ela que deveria dar exemplo de superioridade moral, visto que é uma instituição fundada por mulheres africanas que se destacaram socialmente pela sua conduta moral e espírito de solidariedade, amor e respeito ao Outro. Feia a atitude, um péssimo papel.
Não é a primeira vez que a IBM comete baixaria desse nível. O poeta Carlos Capinan já sofreu igual humilhação ao promover um evento em Salvador que recebeu o nome de Feijoada da Boa Morte. Dizem que a Irmandade autorizou o evento para propositadamente sacanear com Capinan, processando-o por usar o nome da instituição religiosa. Que horror! Quanto ódio! Esses despirocamentos têm uma despirocada por trás; não são, portanto, as irmãs, elas que acolheram Sebastião Heber sem se importar se ele era padre ou não, se está ficando rico ganhando dinheiro com seus livros sobre a instituição, e que tais.
Aliás, a Irmandade da Boa Morte não é a Associação Educativa Esportiva do Paraguaçu, um club do jet set cachoeirano fechadíssimo que havia aqui e que só entravam brancos e pretos "ri-quê-ó-quós". Ela não pode ser manipulada porque "vovó foi irmã", porque "papai ajudava", porque "eu odeio branco".
E o argumento de que o padre, ou não, Sebastião Heber estaria enriquecendo às custas de seus livros sobre a IBM é sacanagem grosseira. Muita merda tem sido publicada na Internet sobre a mencionada irmandade e nada é dito. Fotografias da IBM circulam em dezenas de sites, blogs, orkut, etc. Teses de doutorado, dissertações de mestrado são anualmente defendidas em universidades brasileiras cujo tema e assunto é a IBM. Certamente tudo isto é muito positivo porque valoriza, e divulga a IBM. Então, por que exatamente o padre, ou não padre, Sebastião Heber foi escolhido bode expiatório? Será que o dito cujo estava ganhando a confiança das irmãs da Santinha e ameaçava ser um novo (que Deus o tenha na sua glória) Augusto Régis? Será que o infeliz incomodava o Clero? Será que ele estava fazendo fuxico de baixo nível com o intuito de conspirar contra os que detêm o poder sobre as "nêgas" da Boa Morte? E Tatinho?

Comentários

  1. Anônimo16:31

    Para mim foi um "baque" ler aquela faixa. Na verdade não entendi e nem sei o que se passa ou o que faz o tal padre ou não. Mas que foi uma ofensa, foi.

    E, cá pra nós, a faixa para Tatinho foi ridícula!
    (muitos risos)

    Uma crítica que tenho a fazer sobre a festa da Boa Morte, é que ela ao longo dos tempos vem se tornando palco para campanha política e outras manifestações. No fim, irá se tornar uma "irmã" da lavagem do Bonfim, que acontece na cidade de Salvador. Só falta criar uma festa elitizada chamada BOA MORTE LIGHT!

    O que acham da sugestão? (risos)

    ResponderExcluir
  2. Anônimo16:39

    As faixas estavam lá, em frente à sede da IBM, portanto, a iniciativa foi da própria irmandade. o que ele fez (?) deve ter sido grave. por isto elas reagiram assim, resolveram execrá-lo. Devem ser respeitadas. Julgaram-no e o condenaram, sabem as razões para isto ter feito. Não vou julgá-lo e nem julgá-las. Ridículo é esse comportamento escroto de querer se agarrar as causas daqueles que são perseguidos, essa postura de achar que todo perseguido é vitima de algum algoz perseguidor injusto, isto é ridículo porque presume que todo perseguido é vitima – porra nenhuma, as vezes e na maioria das vezes o perseguido é culpado sim, foi escroto, filho da puta, injusto, covarde, vil, bandido, facínora etc, mas porque é perseguido, coitadinho, ai uns merdas de merda ficam do lado dele, por uma suposta identidade que não existe, vá se fuder...

    ResponderExcluir

Postar um comentário