ao senhor Francisco José da Costa
fiscal geral do município de Cachoeira

Intimado por diversas vezes pelo meu digno antecessor, que deu prazo mais que suficiente e não cumpridos, o proprietário das ruínas do Cais de Maria Alves, próximo ao lugar da feira de peixes, que são um atentado à vida dos transeuntes, uma afronta à decência urbana e ao pudor social por ser o abrigo das imoralidades repulsivas e de todas as vergonhas, foco de descomunal infecção e triste momento de rebeldia à ordem e de desrespeito à lei, intimeis imediatamente ao tenente coronel Vicencio Antonio de Farias para demoli-la no prazo de sete dias a contar da data da certidão, sob pena de desobediência e mandar a intendência proceder a demolição por conta do mesmo proprietário, sem direito a reclamação alguma e ficando sujeito na forma da lei as despesas que serão cobradas para restituição dos cofres públicos, passando competente certidão de intimação. Cachoeira, 27 de novembro de 1907. Dr. Servílio Mario da Silva.

Doutor Servílio, nenhum prefeito teria a coragem de fazer hoje o que o senhor fez há 102 atrás: agir com independência e responsabilidade política. É compreensível a sua indignação ao puteiro que o tenente coronel Vicencio transformava, ou permitia que se transformasse, seus 'sobrados-ruína' no cais de Maria Alves. Onde estavam exatamente localizados os sobrados referidos? Será que era na esquina do Beco do Bilhar, aquela artéria em frente ao antigo atracadouro de navio, que ligava o referido Cais de Maria Alves à Rua 7 de Setembro? Será que era onde hoje é a oficina mecânica de Besouro? Será que era no antigo mercado de peixes, e atualmente a ainda não concluída sede do ARP? Será que era no recém reformado sobrado do engenheiro Bruno?
A sua antiga cidade heróica, doutor Servílio, é hoje cidade erótica. O puteiro atualmente não é promovido por um tenentezinho, não; o puteiro é algo promovido por excelentíssimos e excelentíssimas com suas respectivas saradas alas femininas e masculinas distribuídos em setores estratégicos da máquina 'política-legis-administrativa' juridicamente legalizada, defendida e privatizada pelo poder oligárquico local. Uma esculhambaria, doutor Servílio. Na sua heróica - hoje erótica – cidade, o excelentíssimo que se preza tem sua puta excelentíssima muito bem empregada. Qual ruína do tenente coronel Vicencio, que nada! Aqui o puteiro é feito em mansões recém construídas! Putões oficiais aqui, doutor Servílio, compra carro no valor de 100 mil reais com salário de excelentíssimo secretário, ou empresário que tem uma gata, ladra de panela, encostada no sistema oligárquico, gata manhosa essa de propriedade do amigo do excelentíssimo, que tem primo excelentíssimo e gente sua espalhada (e não é nepotismo, fique claro!) na máquina muito bem ajustada e azeitadíssima!

Comentários

  1. Anônimo21:12

    Parece até coincidência, mas ela não existe; o que evidência é a História. Mas, não conhecê-la incorre no risco de cometer mancadas Históricas. Tem que ser muito inteligente para não ser fisgado por analfabeto político!

    ResponderExcluir
  2. Esse documento do então prefeito de Cachoeira foi extraído de onde ?

    ResponderExcluir

Postar um comentário