Encontro pelas águas

"Terra, planeta água"


Nos dias 23 e 24 de agosto, dia de Oxumarê, Cachoeira recepcionará o povo de santo e comunidades tradicionais da Bahia para a abertura da versão de 2009 do Programa Encontros pelas Águas, ação afirmativa do governo do Estado da Bahia gestado pelo Ingá, Instituto de Gestão das Águas e Clima. Além do encontro com o povo de santo que acontecerá em Cachoeira, mais quatro encontros reunirão as comunidades de gerazeiros, em Santa Maria de Vitória, em setembro; marisqueiras e pescadores, em Prado, também em setembro; comunidades de fundo de pasto, em Itiúba, em outubro; encontro de mulheres, em Rio de contas, em novembro, culminando nos dias 27 e 29 de novembro, com a reunião de povos indígenas, em Santa Cruz de Cabrália. Os Encontros pelas Águas visam promover diálogo com povos e comunidades tradicionais e o segmento de mulheres, por bacias hidrográficas, suas relações com a água, os problemas socioambientais que afetam a vida cotidiana nos lugares onde habitam e construit coletivamente propostas para políticas públicas sustentáveis de acesso à água.

Cacau Nascimento, membro do Ilê Kaió Alaketo Axé Oxum, do Centro de Estudo, Pesquisa, Ação Sócio-Cultural de Cachoeira (CEPASC) e apoiador do Movimento Quilombola e do Terreiro Cultural de Cachoeira; babalorixá Benício Souza, presidente da Associação Cultural Iemanjá Ogunté (ACIÒ), e Luiz Antônio Costa Araújo, coordenador do CEPASC, Terreiro Cultural e Movimento Quilombola de Cachoeira foram convidados como representantes do encontro em Cachoeira e participaram, durante todo o dia de sábado, 18, da reunião do Conselho do Encontro das Águas, que aconteceu no Miramar Hotel, no Porto da Barra, em Salvador. No próximo dia 28 acontecerá outra reunião em Cachoeira com os representantes locais, a comissão das comunidades de terreiro baianos e o Ingá, quando será definido os detalhes do encontro dos dias 23 e 24 de agosto.

Cachoeira nesses dias recepcionará aproximadamente 500 pessoas, dos quais 200 pertencentes aos terreiros de candomblé da Bahia. No ato de abertura, que acontecerá no dia 23, estão previstos atos religiosos públicos no Rio Paraguaçu, além de outras atividades artístico-culturais e educativas que serão desenvolvidas pelos mestres e aprendizes da Ação Griô coordenado pelo Terreiro Cultural. O dia 24 será dedicado às discussões e plenárias desenvolvidas pelos Grupos de Trabalhos das comunidades de terreiros
.

Comentários