SONTONTONHE CAPITÃO DO MATO
Os moradores da Rua Por Trás do Chafariz, cujo acesso se dá pelo Beco de Sinhá Sabina, que conflue com a Rua do Açougue, vão comemorar mais uma vez o seu padroeiro, o capitão do mato, Santo Antônio. Até a década de 1940, essa festa era realizada na igreja de Nossa Senhora do Amparo (foto), localizada na citada rua do Açougue. Com sua demolição para em seu lugar ser construída uma maternidade, os devotos do "santo" deram seguimento ao festejo ali na Rua Por Trás do Chafariz, que agora é conhecido como "Alto de Sontontonhe". Essa localidade era no século XIX um núcleo residencial africano, ou negro, formado por ganhadores que exerciam função de aguadeiros (vide foto de ganhadores na Praça do Chafariz). Além da festa de Santo Antonio, sobreviveu ainda do antigo templo o cruzeiro que havia na sua entrada, que ainda se encontra na Ladeira Que Sobe Para Belém, que a gente conhece como Rua Benjamin Constant, ou Ladeira da Cadeia. Quanta coisa do tempo dos Alfonsin que persiste ainda em Cachoeira e não sabemos, né secretário de cultura?

Comentários

  1. Anônimo17:01

    Dotô Cocô do Nascimento. Vancê é mermo um cÔcô. Mestre de bosta. Porfessô de sacanagem. mestre das arte da vadiagiam.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo17:02

    Dotô Cocô. O sabixão da cahoerreira.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo06:57

    Dotô Cocô do Nascimento. Com um currículo deste,Juca Ferreira e Márcio Meireles que se cuidem.Tanta cultura para ser profeçô de uma escola de segundo grau e beber a vida e fígado no brega, comprando fiado as doses de dragão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário